A conspiração do seguro do navio RMS Titanic

4 de abril de 2020

Muitas teorias e mitos surgiram após o naufrágio do Titanic, que aconteceu em quinze de abril de mil novecentos e doze. Múmia, tesouro, maldição, são alguns desses mitos. Outra teoria seria de um golpe financeiro elaborado pela White Star Line, empresa proprietária do Titanic, de acordo com o escritor Robin Gardiner, autor do livro The Titanic Conspiracy e Titanic – O Navio que Nunca Afundou.

O plano para o golpe consistia em trocar o Titanic pelo Olympic para pegar o dinheiro do seguro. A idéia seria de J. P. Morgan, um dos sócios da companhia, junto a um sócio minoritário chamado J. Bruce por causa do prejuízo dado alguns meses antes pelo incidente com o navio – irmão do Titanic, o Olympic. Como o conserto do Olympic ficou uma fortuna, a equipe simularia um acidente, naufragando o Titanic propositalmente, recebendo assim o dinheiro da seguradora.

Em caso de acidente, o Titanic não só teria seus custos de conserto cobertos pela empresa de seguros, mas pagaria o valor de 750 mil libras, cobrindo os custos da manutenção anterior e ainda fazendo nua empresa zerar seu déficit financeiro. Claro que essa teoria, assim como tantas outras relacionadas ao Titanic, nunca foi provada.

Agora é hora de compartilhar.
Vamos compartilhar.
Share on facebook
Compartilhe no face
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp